Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Miguel Jerónimo Web Blog

Um espaço com conteúdos diversos!

Um espaço com conteúdos diversos!

A vila de São Vicente da Beira

A História:

A vila de São Vicente da Beira foi fundada por Dom Afonso Henriques, em 1173, no âmbito da sua cruzada contra os Árabes, na Península Ibérica. As suas origens perdem-se na Idade do Bronze – cerca de 4.000 a.C. –havendo, ainda, muitos vestígios dessa época. Passaram por aqui os romanos, os suevos e os visigodos. 

Constituiu concelho independente até muito recentemente. Agrupava uma área de certo relevo económico e político, que incluía algumas das actuais freguesias do concelho. Apenas com uma reorganização administrativa do País, em 1895 (a chamada reforma centralizadora de João Franco), o concelho foi extinto, depois de sete séculos de independência administrativa e política.

A povoação recebeu o Foral de D. Sancho I em 1195, com o objectivo de ser povoada. 

Este foral fez de São Vicente da Beira um dos grandes concelhos portugueses da Idade Média.O chamado sistema da “grande municipalização”, que privilegiou sobretudo a raia, numa tentativa de defesa das fronteiras nacionais. Por volta do século XIII, a freguesia e respectivo termo pertenceu a D. Pedro, Conde de Barcelos e filho de D. Dinis. Viveu ali durante alguns anos, num paço construído exactamente com essa função, e do qual nada resta hoje.

Outros forais se seguiram ao primeiro: o de D. João II, em 20 de Agosto de 1469, e o de D. Manuel I, em 22 de Novembro de 1512. Por esta época, o concelho de S. Vicente era constituído pelas seguintes freguesias: Almaceda, Louriçal do Campo, Ninho de Açor, S. Vicente da Beira, Sobral do Campo, Tinalhas, Freixial do Campo e Póvoa de Rio de Moinhos.

Já durante a segunda metade do século XIX, a vila entrou num declínio considerado irreversível.

Em 1871, perdeu as freguesias do Freixial e Póvoa, e em 1877 Sobral do Campo e Tinalhas, ficando reduzida às quatro primeiras, acima citadas. Com a regressão demográfica e a abolição dos morgadios, foi impossível manter a independência do concelho, que em 1895 foi extinto. As suas freguesias foram integradas em Castelo Branco. Um dos primeiros factos “estóricos” relativos a esta freguesia data de 1173. D. Afonso Henriques, ao que nos diz a lenda, recebeu um grupo de homens-bons da localidade, que procurava nome para uma terra que começava a receber os seus primeiros habitantes depois de largo espaço sem população. Parece que ao primeiro monarca português terá respondido: “Que se chame S. Vicente”, em homenagem às relíquias do referido Santo, que nesse dia era trasladado da Igreja de Santa Justa para a Sé de Lisboa.

O Brasão é composto “por escudo de prata, castelo negro lavrado a ouro, aberto e iluminado no campo, tendo na porta, em grande arco abatido, cavaleiro envergando armadura completa com elmo e sua montada, tudo de negro, realçado de prata; acantonados em chefe, estrela de seis pontas de azul e minguante de vermelho; em ponta, barco de negro realçado de ouro, com dois corvos de negro, o da dextra volvido, um à proa e outro na popa. Coroa mural de prata de quatro torres, listel branco e a legenda a negro de S. Vicente da Beira”.
(Texto retirado de: http://svbeira.no.sapo.pt/historia.htm)

Localização:

A vila situa-se na Beira Baixa, no sopé da Serra da Gardunha, a uma altitude de 700 metros. A uma distância de 30 km da capital de distrito, Castelo Branco, esta povoação oferece uma alternativa à zona urbana.

Dispõe de uma área de 100,55 km² e de acordo com os censos de 2001, tem 1259 habitantes, o que equivale a uma densidade populacionar de 12,5 hab./km².

Tem como via de acesso directo, a Auto Estrada (A23) que posteriormente fornece ligação à N352, que o leva à Vila de São Vicente da Beira.

A saída a utilizar na A23 é a que indica a direcção de Alcains, logo após a Estação de Serviço no sentido Sul-Norte.

Neste momento a Praça Central conta com um novo arranjo do espaço, totalmente renovado e mais contemporêneo.

Veja a Galeria de Fotos

 

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2008
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D